Apresentamo-nos como incentivadores do
amadurecimento da relação de trabalho doméstico.

Por primeiro, e com aquele jeitão de  Vinicius de Moraes ,
aqui homenagearmos as mulheres negras e morenas
é fundamental; que nos perdoem as outras.

E não só a beleza que lhes é própria
leva-nos a isso: queremos vê-las
em evidência e nem um pouco
vulneráveis no universo dos
trabalhadores ocupados.

É preciso que todos se
conscientizem da urgência
em se incrementar o chamado
trabalho formal e reduzir a massa
de trabalhadores — aqui referimo-nos

em especial aos domésticos — que
não gozam
de nenhuma proteção do ordenamento jurídico, por
ficarem à margem do reconhecimento por seus
patrões da condição de empregados.

E a quem tem doméstico diarista a seu serviço e
reluta em assinar sua carteira, damos a grande dica:
forme um Consórcio de Empregadores Domésticos (CED),
contratando esse doméstico como mensalista; as
vantagens são sensíveis para o trabalhador e os consorciados.

Os não-relutantes, e que não desejem formar um CED,
saberão como corretamente proceder e documentar
(via este site) a contratação e os pagamentos de
salário, férias e 13.º salário ao doméstico diarista.

Com obviedade, o mesmo diga-se relativamente ao
doméstico mensalista.

Em remate, nossa intenção é que todos observem os
direitos assegurados à categoria dos trabalhadores
domésticos.

 



AMADURECIMENTO DA RELAÇÃO DE TRABALHO DOMÉSTICO.
PENSE NISSO... PENSE MESMO... PENSE SEMPRE!


Constatando erros de gramática, digitação, problemas com links,
por favor, comunique-se conosco para indicar a(s) ocorrência(s).